Rali
11/01/2017 12:52

Líder nas motos, Sunderland evita ‘já ganhou’ e filosofa: “Você ganha o Dakar em dias ruins, não em dias bons”

Líder do Rali Dakar na disputa entre as motos, Sam Sunderland pregou a cautela e avaliou que nada está definido apesar dos 20min58s de vantagem para Pablo Quintanilla na classificação geral. Titular da KTM, britânico ponderou que a maior prova off-road do planeta é vencida em dias ruins
Warm Up
Redação GP, de São Paulo
 
Sam Sunderland não venceu a oitava especial do Rali Dakar, mas conseguiu ampliar sua vantagem na classificação geral da disputa. Mesmo com as muitas dificuldades que marcaram o trecho entre Uyuni, na Bolívia, e Salta, na Argentina, o #14 assegurou o terceiro posto na etapa, atrás apenas de Joan Barreda e Matthias Walkner, que aparecem mais atrás no combinado dos dias.
 
3min54s atrás de Barreda, Sunderland destacou as inúmeras dificuldades deste oitavo estágio e contou que teve de parar para trocar os óculos por conta do excesso de lama ao longo do percurso.
Sam Sunderland segue cauteloso na reta final do Dakar (Foto: Florent Gooden/DPPI)
“Começou realmente enlameado hoje de manhã”, disse Sam. “Estava muito, muito molhado e realmente difícil de passar em alguns lugares. Eu parei algumas vezes para trocar meus óculos, minhas luvas e coisas bobas, simplesmente porque estava demais”, seguiu. 
 

“Eu não conseguia ver a planilha. Não podia ver para onde estava indo”, contou. “Achei que seria melhor parar, mudar meus óculos e aí continuar, ao invés de tentar forçar quando não podia ver”, ponderou. 
 
Embora a etapa tenha sido encurtada por conta do clima ruim que afeta a região, Sunderland avaliou que foi um estágio longo, principalmente após um problema que o deixou sem o freio traseiro da 450 Rally Replica.
 
“Foi um estágio longo”, resumiu. “A segunda parte estava indo bem, mas aí foi um pouco frustrante. Eu estava cruzando um rio cheio de pedras, consegui travar o disco traseiro e entortei o disco, então fiquei sem freio nos últimos cem quilômetros, o que torna as coisas um pouco interessantes em uma superfície como esta, algo no estilo do WRC, compacto, que era realmente escorregadio”, avaliou. 
 
“Tive alguns momentos assustadores com os freios, mas aí tentei manter em mente que eu não tinha freio traseiro”, relatou. “Claro, perdi algum tempo lá, mas estou apenas tentando terminar cada estágio de maneira segura. Acho que isso é o mais importante”, defendeu. 
 
Apesar dos mais de 20 minutos de vantagem que tem na classificação geral, Sunderland evitou o clima de já ganhou e avaliou que tudo pode mudar muito rápido no Dakar. Na visão do britânico, a reação aos dias ruins é o mais conta no resultado final do rali.
 
“Não quero pensar na vitória. Temos um longo caminho pela frente e a condição da classificação geral pode mudar em um dia. Você pode perder muito tempo”, frisou. “Acho que isso é o Dakar — todos terão problema em algum ponto e acho que é a forma como você lida com eles, como você se mantém seguro e tenta não perder muito, muito tempo. Acho que você ganha em dias ruins, não em dias bons”, concluiu.

Últimas Notícias
quarta-feira, 29 de março de 2017
MotoGP
F1
F2
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
Stock Car
Indy
F1
F1
F1
Galerias de Imagens
Facebook