Rali
12/01/2017 16:40 - Atualizada 12/01/2017 20:34

Líderes se perdem, Michael Metgé é punido e Barreda vence em San Juan. Sunderland segue líder do Dakar nas motos

Michael Metgé, da Honda, foi o vencedor da décima etapa do Rali Dakar 2017 nas motos... Até que não foi mais. O francês brilhou em uma quinta-feira marcada por erros de navegação e problemas com os líderes na classificação geral, mas foi punido e cedeu a vitória para Joan Barreda. Pablo Quintanilla perdeu quase uma hora e abandonou a prova com um grave acidente. Sam Sunderland também errou, mas perdeu menos tempo e conseguiu sustentar a liderança
Warm Up
Redação GP, de Sumaré
Rali Dakar 2017, décima etapa
Chilecito (ARG) – San Juan (ARG)
Trecho cronometrado: 449 km
Trecho total: 751 km
 
A décima e antepenúltima etapa do Rali Dakar em 2017, entre Chilecito e San Juan, na Argentina, foi das mais desafiadoras para os pilotos das motos. A especial ofereceu inúmeras dificuldades em termos de navegação e também em razão do forte calor, que variou entre 32 e 38ºC de temperatura ambiente. Assim, muitos erros foram cometidos, sobretudo pelos líderes, com Sam Sunderland e Pablo Quintanilla, que se perderam pelo caminho no começo da prova. Pior para o chileno, que na fase final da disputa, a cerca de 40km da meta, sofreu um forte acidente, bateu a cabeça e chegou a perder a consciência. Sunderland ainda conseguiu cruzar a zona de meta e teve pouco prejuízo. O britânico terminou 17min06s atrás do vencedor da etapa desta quinta-feira (12), o espanhol Joan Barreda.

Barreda, aliás, é o único piloto que venceu mais de uma etapa das motos: essa foi a terceira. Michael Metgé havia se tornado o sétimo vencedor diferente em oito especiais já realizadas neste ano ao cruzar na frente, mas uma punição de uma 1h - e ainda não especificada - o tirou das primeiras colocações.
 
Ainda no briefing dos pilotos na última noite de quarta-feira, Marc Coma, diretor esportivo do Dakar, avisou que a etapa desta quinta-feira seria a mais difícil do Dakar. De fato, desde o começo, a especial entre Chilecito e San Juan, que teve o predomínio de muitos cânions, foi extremamente complicada, sobretudo no quesito navegação. A ponto muitos pilotos se perderam, como Pela Renet, Paulo Gonçalves e os dois líderes da prova: Sam Sunderland e Pablo Quintanilla. Mas o chileno da Husqvarna teve um prejuízo muito maior e perdeu tempo demais, comprometendo sua luta pelo título.
 
Outro que também enfrentou muitos problemas foi o então terceiro colocado na classificação geral, Adrien Van Beveren, que perdeu um tempo significativo rumo a San Juan. Em contrapartida, outros pilotos se destacavam, como os irmãos Adrien e Michael Metgé, da Honda, além do surpreendente tcheco Ondrej Klymciw, da Husqvarna.
Michael Metge venceu a décima etapa do Rali Dakar 2017, mas foi punido e perdeu a conquista (Foto: Honda)
Xavier de Soultrait também ficou para trás em relação aos líderes da dificílima especial desta quinta-feira. Em contrapartida, Stefan Svitko, Franco Caimi, Ricky Brabec, Pela Renet, os irmãos Metgé e Klymciw continuavam surpreendendo, num cenário que se manteve até o fim da especial. O norte-americano, aliás, era o líder na metade da prova, com pouco mais de 1min de vantagem para Michael Metgé.
 
Svitko evoluiu muito ao longo da prova. O eslovaco, que corre com a KTM #2, chegou a andar em 13º no começo da especial, mas teve competência para escalar o pelotão, além de tirar proveito dos problemas de navegação dos seus oponentes. Na fase final da especial, era o piloto que mais ameaçava a vitória de Michael Metgé, andando com tempos muito próximos ao de Klymciw e Brabec.
 
Por outro lado, os sempre favoritos Joan Barreda, Paulo Gonçalves, Matthias Walkner, além de Sam Sunderland, sequer faziam parte do rol dos dez primeiros colocados. Pior para Quintanilla, que lutava para permanecer entre os 40 primeiros da especial. Terrível jornada para o chileno, que na metade final da prova sofreu uma forte queda. O piloto bateu a cabeça e perdeu a consciência com o impacto.
Pablo Quintanilla sofreu forte acidente nesta quinta-feira (Foto: Eric Vargiolu/DPPI)
Barreda, que largou em primeiro, foi o primeiro a chegar à zona de meta em San Juan. Mas nem de longe isso significava sua vitória na décima especial do Dakar 2017. Não demorou muito para que o quarto a largar, Michael Metgé — partiu dois minutos depois de Barreda — alcançasse a zona de meta para se tornar o sétimo vencedor diferente em oito etapas disputadas, considerando o cancelamento de duas especiais por conta de fatores climáticos.
 
Só que Barreda teve um forte desempenho no fim e conseguiu recuperar terreno em relação aos seus adversários. O espanhol ainda conseguiu terminar em um excelente segundo lugar, à frente de Svitko. Destaque para o argentino Franco Caimi, da Honda, que garantiu uma ótima quarta colocação, sendo seguido por Pela Renet. Na primeira passagem, Walkner completou em sétimo lugar, seguido por Sam Sunderland e Gerard Farrés Guell, com Juan Pedrero García em décimo. 
 
Mas muitos pilotos ainda estavam por chegar e fizeram os dois líderes caírem um pouco na classificação da etapa. De qualquer forma, Sunderland conseguiu sustentar a liderança depois de encarar uma especial extremamente dura e que praticamente definiu os rumos do Dakar nas motos. Assim, alguns minutos depois de os vencedores cruzarem a zona de meta, a chegada de outros competidores definiu a classificação da etapa. Helder Rodrigues, da Yamaha, garantiu a sexta colocação da especial, com Iván Cervantes Moreno em sétimo. Adrien Metgé, irmão de Michael Metgé, marcou o oitavo tempo, com o experiente Paulo Gonçalves em nono e Ondrej Klymciw, que flertou até com o top-3, perdendo ritmo no fim e caindo para décimo.
 
Restando apenas duas etapas para o fim do Dakar, e considerando que a última é meramente protocolar, Sundeland está muito perto de vencer pela primeira vez o maior rali do mundo. O britânico tem um tempo total de 28h07min59s, 30min01s de vantagem para Matthias Walkner. A trinca da KTM é completada por Farrés Guell, que está 38min43s. A marca austríaca tirou proveito dos infortúnios de Quintanilla e também de Adrien Van Beveren, da Yamaha, que ficou muito para trás. 
Sam Sunderland sustenta a liderança geral do Dakar nas motos restando apenas dois dias para o fim (Foto: Red Bull Content Pool)
Joan Barreda, mesmo com toda a punição de 1h sofrida por conta do reabastecimento irregular feito pelos pilotos da Honda, está em quarto lugar, 53min57s atrás do líder. O que indica que, caso não tivesse sofrido a sanção, seguramente estaria na liderança e perto de vencer o Dakar. A quinta posição na classificação geral é do francês Pela Renet, da Husqvarna, que faz um excelente rali.
 
A penúltima etapa do Rali Dakar, entre San Juan e Río Cuarto, na Argentina, terá um total de 754 km, com um trecho cronometrado relativamente curto, de 288 km.

Russo aumenta vantagem nos quadriciclos e fica perto do título
 
Sergey Karyakin faturou mais uma grande vitória no Rali Dakar e caminha a passos firmes para a conquista do título nos quadriciclos. O russo venceu mais uma disputa com o chileno Ignacio Casale e aumentou sua vantagem na classificação geral da prova, restando apenas duas etapas para o fim do maior rali do mundo.
 
Karyakin dominou a etapa e, com uma pilotagem segura, sustentou a liderança até o fim. Casale andou sempre próximo, com o russo marcando seu principal adversário na luta pelo título. Sergey completou o trecho da especial em 6h52min43s, fechando com 10min46s de frente para Casale.
Nos quadris, Ignacio Casale ficou distante de conquistar o bi no Dakar (Foto: Red Bull Content Pool)
O top-5 foi quase todo composto por quadris da Yamaha. O francês Axel Dutrie andou em terceiro lugar em praticamente todo o trecho até San Juan, mas teve um enorme azar e enfrentou problemas com seu quadriciclo.
 
Assim, quem fechou o rol dos três primeiros foi o argentino Santiago Hansen, da Honda, sendo seguido pelo compatriota Pablo Copetti. O campeão dos quadris em 2015, o polonês Rafal Sonik, terminou a especial em quinto lugar, pouco à frente do luso Bruno da Costa, ambos competindo com Yamaha.
 
Na classificação geral, Karyakin está muito perto de faturar seu primeiro título de Rali Dakar. Com dez etapas já disputadas, o piloto agora tem uma vantagem de 21min05s para Casale. Assim, só mesmo um grande erro de navegação ou um problema mecânico nesta especial de sexta-feira, que na prática vai definir os rumos do Dakar, tira a vitória do russo na edição 2017 do maior rali do mundo.
 

Rali Dakar 2017, décima etapa, Motos:

1 11 JOAN BARREDA ESP HRC RALLY
CRF 450 RALLY HONDA
5:48:50  
2 2 STEFAN SVITKO ESL SLOVNAFT TEAM
450 RALLY REPLICA
KTM
5:50:09 00:01:19
3 67 FRANCO CAIMI ARG HONDA SOUTH AMERICA
HONDA
5:53:33 00:04:43
4 31 PIERRE ALEXANDRE RENET FRA ROCKSTAR ENERGY
HUSQVARNA
5:54:06 00:05:16
5 7 HELDER RODRIGUES POR YAMAHA MOTOR EUROPE
WR450F YAMAHA
5:55:31 00:06:41
6 25 IVAN CERVANTES MONTERO ESP HIMOINSA RACING
RALLY
KTM
5:57:00 00:08:10
7 26 ADRIEN METGE FRA SHERCO TVS
RTR 450 SHERCO TVS
5:58:03 00:09:13
8 17 PAULO GONÇALVES POR HRC RALLY
CRF 450 RALLY HONDA
5:58:28 00:09:38
9 45 ONDREJ KLYMCIW POL KLYMCIW
HUSQVARNA
5:59:07 00:10:17
10 16 MATTHIAS WALKNER AUS RED BULL KTM FACORY TEAM
450 RALLY REPLICA
KTM
6:02:28 00:13:38
 

Rai Dakar 2017, décima etapa, Quadriciclos: 

1 254 SERGEY KARYAKIN RUS TEAM AL DESERT
YAMAHA
6:52:43
2 251 IGNACIO CASALE CHI XRAIDS
YAMAHA
7:03:29
3 261 SANTIAGO HANSEN ARG MEC TEAM
HONDA
8:19:09
4 263 PABLO COPETTI ARG MV DEVESA
YAMAHA
08:21:51
5 250 RAFAL SONIK POL SONIK TEAM
YAMAHA
8:25:10

Últimas Notícias
sábado, 27 de maio de 2017
Truck
Nascar
Indy
MotoGP
F1
F1
F1
F1
F1
F2
F1
F1
F1
F1
Superbike
Galerias de Imagens
Facebook