Rali
08/01/2017 10:45

Sainz revela decepção com Peugeot por não tentar reparar carro após acidente que causou abandono no Dakar

Carlos Sainz deixou o Dakar na quinta-feira depois de despencar de um barranco após capotar seu carro em Tupiza, na Bolívia. Mas o espanhol, campeão em 2010, entende que poderia continuar na prova se a Peugeot dedicasse mais tempo para realizar os reparos no 3008 DKR. Mas a equipe francesa entende que não havia tempo hábil para realizar os consertos
Warm Up
Redação GP, de Sumaré
 
Carlos Sainz foi uma importante baixa nesta primeira semana do Rali Dakar 2017. O espanhol, campeão da prova em 2010, despontava como um dos favoritos ao título depois de ver Nasser Al-Attiyah abandonar a disputa. Mas perto da zona de meta da quinta etapa da competição, já em Tupiza, na Bolívia, o experiente piloto capotou seu carro e despencou de um barranco de aproximadamente 20m. Por sorte, tanto Sainz quanto seu navegador, o compatriota Lucas Cruz, escaparam apenas com dores nas costas.
 
Entretanto, Sainz entende que havia condições para continuar no Dakar. O piloto chegou a Madri na tarde do último sábado (7) e, pouco após desembarcar, expressou sua decepção com a Peugeot. Na avaliação de Carlos, a equipe poderia ter tentado reparar o carro após o acidente na Bolívia, uma vez que a prova só vai ser retomada mesmo na segunda-feira. A etapa prevista para o último sábado, entre Oruro e La Paz, foi cancelada pela organização de prova por conta das fortes chuvas na Bolívia neste fim de semana.

 
“Eu queria continuar. O carro não teve tantos danos. O chassi estava bom, o motor estava bom, a única coisa que precisaria de maiores reparos era na fibra de carbono”, salientou o veterano, que foi recebido, entre outros tantos, pelo seu filho, Carlos Sainz Jr., piloto da Toro Rosso na F1.
 
Sainz acredita que a Peugeot teria muito trabalho para realizar os reparos, mas que seria possível ao menos levar o 3008 DKR à zona de meta em Tupiza e trabalhar no carro para garantir a ida até La Paz. Entretanto, a equipe alegou que seria muito complicado realizar o conserto e que não havia tempo material hábil para realizar os trabalhos.
Sainz entende que havia condições de continuar mesmo com os danos no seu Peugeot 3008 DKR (Foto: Dakar)
Ainda com dor nas costas depois da forte pancada que sofreu ao despencar com o carro no barranco, Sainz explicou que não estava correndo riscos. “O acidente aconteceu porque havia uma moto à frente, e então perdi a referência de distância da curva. Quando estava em meio à poeira, me dei conta de que estava muito rápido, freei para tentar entrar, mas acabei capotando na curva. Foi um segundo de poeira, esse tipo de prova é assim”, comentou.
 
Depois do susto na Bolívia, tudo o que Sainz deseja agora é descansar: “Estou muito melhor. Agora é voltar para casa, descansar e refletir. É o que faço depois de todo Dakar. Depois, vou ver o que vou fazer”, finalizou, evitando falar sobre seu futuro na Peugeot e no próprio maior rali do mundo.
 


Últimas Notícias
terça-feira, 17 de outubro de 2017
F1
F1
F1
F1
F1
F1
Warm Up
Copa Grande Prêmio
F1
F1
segunda-feira, 16 de outubro de 2017
MotoGP
Seletiva BR
Copa Grande Prêmio
F1
F1
Galerias de Imagens
Facebook