Rali
10/01/2017 21:52

Torres e Roldan mantém liderança nos UTVs e ficam a quatro dias de vitória histórica no Rali Dakar

A dupla brasileira formada por Leandro Torres e Lourival Roldan segue a incrível jornada rumo ao primeiro título brasileiro na classificação geral do maior rali do mundo. Nesta terça-feira, os donos do UTV #351 da Polaris fecharam a oitava etapa da prova, entre Uyuni e Salta, em segundo lugar, administrando com muito esforço uma vantagem importante construída ao longo da prova
Warm Up
Redação GP, de Sumaré
 
Leandro Torres e Lourival Roldan estão a quatro dias da conquista de um resultado histórico para o Brasil no Rali Dakar. A dupla brasileira manteve a confortável uma vantagem sólida perante a tripulação mais próxima depois de ter finalizado em segundo lugar a oitava especial da prova, entre Uyuni, na Bolívia, e Salta, já em solo argentino, nesta terça-feira (10). A especial dos UTVs terminou só depois que a organização do Rali Dakar cancelou a nona etapa, que seria disputada na quarta-feira, em razão das fortes chuvas e de um gigantesco deslizamento de terra em Jujuy, no norte da Argentina, impedindo a passagem das equipes de apoio e dos competidores rumo ao acampamento montado na cidade de Salta.
 
A primeira parte da prova reservou um susto para quem acompanhava a jornada de Torres e Roldan nesta terça-feira por conta de um problema de cronometragem, que não havia registrado o tempo da dupla nos primeiros waypoints. Mas ao chegar ao trecho de neutralização, os brasileiros foram confirmados na segunda colocação, somente atrás dos chineses Li Dongsheng e Quanquan Guan, também da Polaris.
Leandro Torres e Lourival Roldan encaram mais um desafio rumo à vitória no Rali Dakar (Foto: José Mário Dias/Photosdakar.com)
Quem perdeu bastante tempo foi o conjunto formado pelo chinês Mao Ruijin e o francês Sébastien Delaunay, que lideraram boa parte da prova e que estavam em segundo lugar, só atrás de Torres e Roldan. Mas o desempenho da dupla foi determinante para a perda da vice-liderança, caindo assim para o terceiro lugar da classificação geral antes mesmo da primeira parte da especial.
 
O percurso do Dakar para a oitava etapa previa um trecho cronometrado de 171 km e, depois dos 176 km de deslocamento entre as fronteiras de Bolívia e Argentina, a prova foi retomada após a neutralização para os 246 km finais de especial. Desde então, os três primeiros não mudaram, em que pese a enorme dificuldade de um terreno castigado pelas fortes chuvas no norte da Argentina. 
 
Dongsheng e Guan apareciam em primeiro e assim foram até o fim da disptua, com um tempo total de 6h30min15s, com Torres e Roldan aparecendo em segundo lugar e os russos Maganov Ravil e Kirill Shubin completando o top-3. Wang Fujiang e Li Wei fecharam a especial em quarto lugar, enquanto Ruijin e Delaunay conseguiram completar a prova, mas em quinto lugar.
 
Embora a vice-liderança tenha mudado de mãos, a vantagem de Torres e Roldan, agora para Dongsheng e Guan, se mantém muito significativa. De acordo com a cronometragem do Rali Dakar, a diferença agora é de 1h35min12s para Dongsheng e Guan. Ruijin e Delaunay, com o revés nesta oitava etapa, caíram para terceiro e, se já estavam longe da vitória, ficaram ainda mais depois do infortúnio nesta terça-feira. 
 
Sem a especial marcada para quarta-feira, Torres e Roldan vão ter pela frente mais três etapas até à chegada à meta final, em Buenos Aires, no próximo sábado. A dupla brasileira caminha para uma vitória heroica e histórica no maior rali do mundo.
 


Últimas Notícias
terça-feira, 17 de outubro de 2017
F1
F1
Copa Grande Prêmio
F1
F1
F1
Seletiva BR
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
Galerias de Imagens
Facebook