Red Bull Kart Fight
31/08/2012 17:24 - Atualizada 31/08/2012 17:51

Agora no Brasil, Red Bull Kart Fight realiza seletiva em 14 kartódromos à procura do melhor piloto amador

A Red Bull trouxe ao Brasil, neste ano de 2012, o Red Bull Kart Fight. O objetivo é simples: encontrar o melhor piloto amador do mundo. Antes disso, porém, é preciso ser o melhor de seu país
Warm Up
RENAN DO COUTO, de São Paulo

Chegou ao Brasil em 2012 o Red Bull Kart Fight. Mais uma das muitas iniciativas promovidas pela marca, o objetivo desta é encontrar o melhor kartista amador do planeta. Para isso, cada país realiza uma final nacional que elege um único piloto para a final mundial, que acontece em dezembro.

E qualquer kartista nas horas vagas, que não tenha possuído carteira de piloto da CBA desde 2008 – exceto a cédula de piloto amador – e tenha entre 13 e 35 anos pode participar. Para isto, basta se dirigir a um dos 14 kartódromos onde estão sendo realizadas as seletivas, fazer sua inscrição e acelerar.

O objetivo do Red Bull Kart Fight é encontrar o melhor piloto amador do mundo (Foto: Red Bull)

A lista inclui circuitos de todas as cinco regiões do país. As cidades são Salvador (BA), Fortaleza (CE), Brasília (DF), Vila Velha (ES), Goiânia (GO, Belo Horizonte (MG), Belém (PA), Recife (PE), Londrina (PR), Volta Redonda (RJ), Nova Santa Rita (RS), Paulínia, São Paulo e Piracicaba (SP).

Em dias determinados por cada um dos kartódromos, pilotos estão tentando andar rápido desde o dia 1º de julho. Esta primeira fase do Red Bull Kart Fight se estende até o dia 30 de setembro. Nesta data, os três pilotos mais rápidos de cada pista terão garantido seu lugar na final nacional, em Nova Odessa, no interior paulista.

Em 6 de outubro, os 42 finalistas estarão no Kartódromo MMoa disputando o título de melhor piloto amador do Brasil. Recém inaugurada, a pista idealizada por Moacir Vieira, envolvido há anos com o kartismo, possui uma das melhores estruturas do Brasil e chama atenção pelas centenas de traçados que podem ser montados. Sim, são centenas. O traçado principal possui uma extensão de 2780 metros – é mais do que tem muito autódromo por aí.

O formato da final é bastante dinâmico. Os 42 kartistas classificados serão divididos em dois grupos, que disputarão baterias de 20 minutos, depois das quais restarão os dez melhores de cada uma. Estes vão para a grande decisão.

As cinco primeiras voltas da corrida, com 20 karts, são normais. A partir da sexta passagem, o último colocado é eliminado. Na 16ª volta, entra em cena o safety kart, com o objetivo de reagrupar os dez pilotos restantes. Após a relargada, o sistema de knock down é retomado e, a cada passagem, quem estiver no fim do pelotão deixa a disputa. Quando restarem quatro pilotos, o safety-kart voltará a entrar na pista para que os sobreviventes fiquem próximos novamente. Nova relargada, mantido o sistema de knock down. Quem sobrar é o grande campeão.

O representante brasileiro na final mundial viajará, junto de um acompanhante, com todas as despesas pagas para brigar com os melhores kartistas do mundo. O palco da grande decisão, marcada para 8 e 9 de dezembro, ainda não foi anunciado.

Você está pronto para o Red Bull Kart Fight?
Acesse o site do torneio e saiba de todos os detalhes

Últimas Notícias
quinta-feira, 19 de janeiro de 2017
Rali
Rali
F-E
Outras
MotoGP
MotoGP
F1
Indy
MotoGP
MotoGP
F1
F1
Rali
F1
MotoGP
Galerias de Imagens
Facebook