Red Bull Kart Fight
28/10/2012 11:40

Estudante de economia, campeão do Red Bull Kart Fight sonha em seguir carreira no automobilismo

O carioca Fábio Konrad conquistou o título da edição brasileira do Red Bull Kart Fight e garantiu vaga para a final mundial, na Itália, em dezembro. “Um dia muito especial”, disse
Warm Up, de Nova Odessa (SP)
RENAN DO COUTO, de São Paulo

“Depois do automobilismo, o que mais me agradou foi a faculdade de economia”, contou Fábio Konrad, carioca de 20 anos à reportagem do Grande Prêmio. Há oito anos que o kartista disputa provas de kart amador, mas este sábado (27), foi eleito pelo próprio como o mais especial de sua carreira nas pistas. Konrad venceu as duas corridas que disputou no Kartódromo MMoa, em Nova Odessa (SP), e conquistou o título da edição brasileira do Red Bull Kart Fight.

Ainda jovem, o melhor kartista amador do Brasil carrega o sonho de menino de virar piloto. Viu alguns amigos, como o conterrâneo Nicolas Costa, campeão da F-Abarth em 2012, ingressarem no mundo do automobilismo, porém, ficou pelo caminho por conta do aspecto financeiro. Mesmo assim, o sonho persiste, especialmente após a conquista em um campeonato de nível nacional.

O próximo desafio de Konrad será em dezembro, na final mundial do RBKF (Foto: Bruno Terena/Red Bull)

“Um dia muito especial. Estou muito surpreso com o meu desempenho e muito feliz por ganhar as duas corridas. Gratificante demais”, declarou o campeão.

Konrad largou na pole-position na primeira bateria e disparou na liderança, conquistando uma vitória relativamente fácil. Na segunda prova, sua tarefa foi bem mais complicada. Os karts foram sorteados novamente e Fábio precisou trocar o potente número 5 pelo, a princípio, não tão potente 23, que rendeu somente o sétimo tempo na classificação.

Mas rapidamente Konrad conseguiu ganhar posições. Já nas primeiras voltas, era o terceiro colocado. Ultrapassou Carolina Persona e aí usou a estratégia para bater Yuri Orlandini. Sabendo que o safety-kart entraria em ação, não forçou, apenas administrou sua situação e poupou os pneus. Esperou o reagrupamento do pelotão e se aproveitou de uma relargada ruim de seu oponente para assumir a liderança – e não mais largar.

 “Peguei karts muito bons, os pilotos foram muito limpos comigo, respeitaram e graças a Deus consegui esse resultado que é o melhor da minha vida nesses oito anos em que eu ando de kart”, destacou o kartista.

Konrad ainda lamentou o momento complicado que os adeptos da modalidade vivem em seu estado, o Rio de Janeiro. Da capital, ele precisa viajar cerca de uma hora até Guapimirim para competir. “É um kartódromo muito bom e o único que temos no momento”, disse. As seletivas para o RBKF aconteceram numa praça um pouco mais distante: Volta Redonda, palco do Campeonato Brasileiro de 2010. “Fazia um tempo que eu não ia para lá, mas graças a Deus consegui ir duas vezes para fazer os treinos e me classificar”.

Konrad disputou a bateria final com o kart número 23 (Foto: Bruno Terena/Red Bull)

“O Rio de Janeiro sofre há algum tempo com a escassez de kartódromos. Não temos um kartódromo municipal há muito tempo, agora estão destruindo o nosso autódromo, que era a nossa única praça”, lastimou Konrad.

Campeão brasileiro, Konrad terá a missão de representar o país na final mundial do Red Bull Kart Fight. O confronto direto com os campeões de outros países está marcado para os dias 8 e 9 de dezembro, em Bolonha, na Itália.


Últimas Notícias
segunda-feira, 24 de julho de 2017
Indy
F-E
Superbike
F-E
F1
F1
F1
Stock Car
Nascar
F1
Nascar
F1
F1
F1
F1
Galerias de Imagens
Facebook