Stock Car
28/12/2016 06:00

Saída da Red Bull desencadeia maior ‘dança das cadeiras’ na década e deixa Stock Car imprevisível em 2017

A surpreendente saída da Red Bull do grid da Stock Car a partir do ano que vem foi o estopim para um sem número de mudanças na categoria, tanto de pilotos, patrocinadores e também equipes. Dentre os confirmados para 2017, Poucos competidores vão continuar onde estiveram na última temporada, como o campeão Felipe Fraga e o vice, Rubens Barrichello. Cacá Bueno, por exemplo, vai correr pela melhor equipe do certame, a Cimed Racing
Warm Up
FERNANDO SILVA, de Sumaré
 

A Stock Car viveu um ano trepidante em 2016. Não apenas dentro da pista, com as grandes emoções ao longo de uma temporada marcada pelo brilhantismo do jovem Felipe Fraga, pela grande forma de Rubens Barrichello, pela valentia de Valdeno Brito e um grid cada vez mais forte e competitivo. Além do que se viu nos circuitos ao redor do Brasil, a categoria foi marcada por bastidores efervescentes que envolveram pilotos, equipes e patrocinadores. Certamente, foi a maior ‘dança das cadeiras’ de toda a década, desencadeada pelo anúncio-bomba da saída da Red Bull, que venceu cinco títulos nos últimos dez anos e era a principal patrocinadora da estrutura da equipe chefiada por Andreas Mattheis. Daí em diante, vários anúncios mexeram com o grid e deram, muito antes do seu início, a perspectiva de um 2017 imprevisível.
 
A saída da Red Bull, que foi definida depois que a marca austríaca decidiu tirar seu time de campo, assim como a Sky, confirmou uma mudança há tempos ventilada na Stock Car: a ida do maior campeão em atividade no grid para a melhor equipe da categoria no momento. Cacá Bueno, na Red Bull desde 2009, assinava um contrato de longa duração, mais precisamente cinco anos, e se transferia para a Cimed Racing, chefiada por William Lube. Em princípio, o time de propriedade do empresário João Adibe confirmava apenas dois nomes: Cacá e Marcos Gomes. O maior campeão em atividade e o atual campeão, anunciados às vésperas da Corrida do Milhão, em Interlagos.
 
Se Cacá confirmava seu futuro, o anúncio da Cimed deixava dúvidas sobre o futuro do então líder do campeonato e grande nome de 2016: Felipe Fraga. Para onde iria o jovem piloto do carro #88? Ficaria na Stock Car na Cimed? Ou correria por outra equipe? Voltaria para a Europa? DTM? Mundial de Endurance? Muitas perguntas pairavam no ar naquele momento.
Campeão, Fraga continua na Cimed e vai manter casamento vencedor na Stock Car em 2017 (Foto: Fábio Davini/Vicar)
Outro piloto que passaria a ter seu futuro especulado era Daniel Serra. Desde 2007, ano em que fez sua estreia na Stock Car, o paulista sempre correu na Red Bull sob os comandos de Andreas Mattheis. Experiente, vencedor e com DNA de campeão, Serrinha era a bola da vez, mas rapidamente teria seu destino definido para 2017. Daniel fechou com a RC Eurofarma. Mas e a dupla sólida formada por Max Wilson e Ricardo Maurício? Pois Rosinei Campos, o ‘Meinha’, garantiu três grandes pilotos, todos contando com o patrocínio da empresa farmacêutica. Uma resposta à altura para a dominante Cimed, já indicando grandes disputas para o ano que vem.
 

No mesmo fim de semana do anúncio da RC, durante a etapa de Curitiba, em outubro, outra grande mudança foi confirmada na Stock Car. A Ipiranga, com Thiago Camilo e Galid Osman, deixou a RCM, segunda equipe de ‘Meinha’, e fechou com Andreas Mattheis para ocupar a estrutura que até o fim do ano teve o patrocínio da Red Bull. A despedida de Camilo do time onde trabalhou por muitos anos com André Bragantini começou da melhor forma, com uma grande vitória na corrida 2 no circuito paranaense.
 
Era só o começo, já que outras tantas equipes, pilotos e patrocinadores ainda tinham de definir o futuro na Stock Car. Às vésperas da etapa de Goiânia, no começo de novembro, foi a vez da Shell confirmar uma importante mudança para 2017. Depois de muitos anos com o segundo time dos Mattheis, chefiado por Rodolpho, a petrolífera holandesa se mudou para a TMG, que fez forte temporada neste ano. A marca levou seus pilotos Átila Abreu e Ricardo Zonta para o time americanense, chefiado pelo engenheiro Thiago Meneghel. Depois de começar o ano de maneira incerta e buscando grandes patrocinadores em tempo recorde para começar o campeonato e estar em condições de brigar pelas primeiras posições com o aguerrido Valdeno Brito, Meneghel passou a voltar a contar com boa saúde financeira e também com o retorno de Átila.
Átila vai voltar a trabalhar com Thiago Meneghel em 2017 na Stock Car (Foto: Carsten Horst/Hyset/RF1)
Mas a vinda da Shell implicou na saída de Valdeno, que rapidamente encontrou seu lugar e fechou com a Carlos Alves. A equipe de ‘Carlão’, com o forte patrocínio da Eisenbahn, marca premium de cerveja da Brasil Kirin, fechou contrato com o paraibano e garantiu a permanência de Vitor Genz, um dos grandes nomes de 2016. A vinda de Valdeno culminou com a saída de Néstor ‘Bebu’ Girolami da equipe. O argentino, que chegou bastante badalado, mas teve uma temporada cheia de azar, tende a voltar a correr no seu país-natal e também na Europa, no WTCC, pela Volvo.
 
O grid já estava definido em boa parte para 2017. Outra confirmação, depois de meses de rumores aqui e ali, foi o retorno da Prati-Donaduzzi. A marca farmacêutica de Toledo, que deixou a Stock Car no fim de 2015 ao retirar o patrocínio da Mico’s, equipe que deixou a categoria no começo desta temporada justamente por problemas financeiros, retornou com seus dois pilotos, Antonio Pizzonia e Julio Campos, para substituir a Shell como principal apoiadora do time de Rodolpho e Xandy Mattheis, a RX Mattheis, garantindo uma das duplas mais vencedoras e experientes do grid. O bom entrosamento entre Pizzonia e Julio também é sempre um bom ponto a considerar.
 
A saída de Campos abriu uma vaga, ainda não preenchida, na C2. A equipe paranaense também viu Gabriel Casagrande, filho de Edson Casagrande, dono da equipe, buscar novos rumos em 2017, assinando com a Vogel, em anúncio confirmado em Interlagos, no fim de semana da grande final da temporada. São Paulo também viu a oficialização do fim da parceria entre a Full Time e a ProGP. O anúncio veio na esteira da confirmação de Felipe Fraga, que viria a ser campeão em 2016, na Cimed, na extensão da equipe com o apoio de Duda Pamplona. O quarteto do time que se tornou bicampeão da Stock Car foi confirmado por Denis Navarro.
Antônio Pizzonia e Julio Campos vão defender novamente as cores da Prati-Donaduzzi (Foto: Duda Bairros/Vicar)
A Full Time manteve seus dois pilotos, em um caso raro de continuidade para 2017, garantindo Allam Khodair e Rubens Barrichello, dono de uma campanha brilhante na Stock Car neste ano. A ‘dança das cadeiras’ continuou depois do fim da temporada, com três anúncios: Tuka Rocha no segundo carro da RCM — mas sem o patrocínio da Eurofarma —; Guga Lima, na Hot Car; e Felipe Lapenna, que saiu da Hot Car para ser um dos pilotos da Cavaleiro no ano que vem.
 
Dos grandes nomes de 2016, Diego Nunes tende a ficar na Bassani, equipe que deve contar com a parceria da Full Time no ano que vem. Quanto a Sergio Jimenez, a expectativa é que o talentoso piloto de Piedade volte para a C2, com um novo projeto para 2017. Guilherme Salas, que se destacou depois de uma boa temporada de estreia na Stock Car, busca um lugar para fazer a temporada completa. Rafael Suzuki, Raphael Abbate, Bia Figueiredo, Xandinho Negrão e Lucas Foresti também lutam para garantir uma vaga no ano que vem. 
Max Wilson e Ricardo Maurício saúdam o mais novo nome da Eurofarma na Stock Car: Daniel Serra (Foto: Vanderley Soares)
Sem contar a concorrência dos pilotos que tiveram bom destaque no Brasileiro de Turismo, como Márcio Campos, Gabriel Robe e Marco Cozzi, além de Felipe Guimarães, que apareceu muito bem em 2016 na Stock Car, mas deixou a temporada antes do fim por conta da falta de patrocínio.
 
Com tantas mudanças definidas para 2017, já dá para imaginar que a próxima temporada da Stock Car será tão ou ainda mais empolgante que o campeonato que se encerrou há pouco menos de um mês. Que venha 2017! Feliz Ano Novo! 
 
 
Pilotos confirmados e ainda em dúvida para 2017 na Stock Car

88 FELIPE FRAGA PA CIMED Peugeot
80 MARCOS GOMES SP CIMED Peugeot
0 CACÁ BUENO RJ CIMED Peugeot
5 DENIS NAVARRO SP CIMED Peugeot
65 MAX WILSON SP RC Chevrolet
90 RICARDO MAURÍCIO SP RC Chevrolet
29 DANIEL SERRA SP RCM Chevrolet
25 TUKA ROCHA SP RCM Chevrolet
111 RUBENS BARRICHELLO SP FULL TIME Chevrolet
18 ALLAM KHODAIR SP FULL TIME Chevrolet
21 THIAGO CAMILO SP A.MATTHEIS Chevrolet
28 GALID OSMAN SP A.MATTHEIS Chevrolet
77 VALDENO BRITO PB CARLOS ALVES Peugeot
46 VITOR GENZ RS CARLOS ALVES Peugeot
83 GABRIEL CASAGRANDE PR VOGEL Chevrolet
10 RICARDO ZONTA PR TMG Chevrolet
51 ÁTILA ABREU SP TMG Chevrolet
110 FELIPE LAPENNA SP CAVALEIRO Peugeot
4 JÚLIO CAMPOS PR RX MATTHEIS Chevrolet
1 ANTONIO PIZZONIA AM RX MATTHEIS Chevrolet
9 GUGA LIMA PR HOT CAR Chevrolet
73 SÉRGIO JIMENEZ SP ?
70 DIEGO NUNES SP ?
3 BIA FIGUEIREDO SP ?
12 LUCAS FORESTI DF ?
117 GUILHERME SALAS SP ?
8 RAFAEL SUZUKI SP ?
26 RAPHAEL ABBATE SP ?
99 XANDINHO NEGRÃO SP ?
66 FELIPE GUIMARÃES GO ?
 


Últimas Notícias
terça-feira, 17 de outubro de 2017
F1
F1
Copa Grande Prêmio
F1
F1
F1
Seletiva BR
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
Galerias de Imagens
Facebook