Superbike
19/05/2017 06:20

Hayden tem “situação estável”, mas segue em condição “extremamente grave” após noite “sem mudanças”, diz hospital

O Hospital Maurizio Bufalini, em Cesena, na Itália, emitiu na manhã desta sexta-feira (19) um novo boletim médico sobre o estado de Nicky Hayden. Após uma segunda noite na UTI do hospital, o norte-americano apresenta uma situação estável, mas segue em uma condição extremamente grave após uma noite sem mudanças em seu quadro
Warm Up
JULIANA TESSER, de São Paulo
Nicky Hayden segue sua batalha pela vida no Hospital Maurizio Bufalini, em Cesena, na Itália. O piloto da Honda no Mundial de Superbike foi atropelado na última quarta-feira quando andava de bicicleta nas cercanias de Rimini.
 
Na manhã desta quinta-feira (19), o hospital italiano emitiu um novo boletim médico, revelando que o quadro de Hayden não teve alterações após a segunda noite na UTI e que continua sendo “extremamente grave”.
Nicky Hayden passou uma noite sem mudanças no hospital de Cesena (Foto: Graeme Brown/Red Bull Content Pool)

“A situação é estável”, diz o boletim médico. “O quadro clínico segue sendo extremamente grave e, em comparação com o dia anterior, não há mudanças”, completa.
 
 
Nicky está acompanhando pela mãe, Rose, pelo irmão, Tommy, e pela noiva Jackie Marin. Nesta sexta-feira, no primeiro dia de treinos para o GP da França de MotoGP, muitos pilotos carregaram mensagens de apoio para o #69 nas motos.

Atualização

O Hospital Maurizio Bifalini, de Cesena, divulgou nesta sexta-feira (19), às 19h45 (hora local), 14h45 (de Brasília), um novo comunicado sobre o estado de saúde do piloto norte-americano. Segundo a nota, o quadro clínico de Hayden, de 35 anos, segue sem mudanças e é extremamente crítico. O campeão da MotoGP de 2006 continua sendo assistindo no centro de terapia intensivo do hospital.

Vida e carreira

Hayden teve longa carreira na MotoGP, competindo em tempo integral entre 2003 e 2016. O ponto alto foi a temporada 2006, quando o americano derrotou Valentino Rossi em uma briga acirrada pelo título. Sem apresentar o brilho de outrora nos últimos anos, Nicky topou representar a Honda no Mundial de Superbike. Em 2016, seu primeiro ano completo no certame, o piloto venceu uma corrida e fechou a temporada em quinto. A temporada 2017 começou com resultados medianos – a melhor posição de chegada foi um sétimo lugar na Tailândia. No último final de semana, em Ímola, abandonou uma prova e foi 12º na outra.
 
Nicky Hayden nasceu na cidade de Owensboro, no Kentucky, em 30 de julho e tem 35 anos. É o último piloto norte-americano campeão mundial da MotoGP De trajetória diferente da maioria dos competidores do Mundial de Motovelocidade, o piloto ganhou notoriedade com grandes performances no Campeonato Americano de Superbike, categoria na qual se consagrou campeão em 2002. Antes disso, já havia vencido a AMA Supersport 600 com a Honda em 1999.
 
Nicky ainda faria uma participação em 2002 na rodada de Laguna Seca do Mundial de Superbike. E o desempenho chamou atenção, tanto que, na temporada seguinte, Hayden já estava na MotoGP, defendendo a equipe de fábrica da Honda.
Nicky Hayden entrou no lugar de Dani Pedrosa no ano passado na prova da Austrália (Foto: Yamaha)

Com os japoneses, o piloto foi quinto colocado em seu ano de estreia em 2003. A carreira do americano. Então, evoluiu ao longo dos anos: em 2005, veio a primeira vitória na MotoGP e logo em casa: com direito a pole em Laguna Seca, Hayden subiu ao topo do pódio pela primeira vez em 10 de julho. Além da vitória na Califórnia, o piloto faturou ainda outros cinco pódios e duas poles para terminar em terceiro lugar. Mas o grande ano veio em 2006. Ainda andando com a marca nipônica, Hayden se tornou campeão mundial, vencendo Valentino Rossi, por apenas cinco pontos.
 
Foram dois triunfos de Hayden naquele ano, contra cinco de Rossi. No entanto, a consistência do americano da Honda e a regularidade foram decisivos para que ele conquistasse sua maior glória na carreira.
 
Nicky ficou mais duas temporadas na esquadra japonesa antes de, em 2009, assinar contrato com a Ducati. Pela equipe italiana, o norte-americano disputou cinco campeonatos, tendo o italiano multicampeão do Mundial como companheiro em duas temporadas. Sem sucesso com a difícil moto de Borgo Panigale, Hayden ainda correr na pequena Aspar entre 2014 e 2015. Sua última aparição na MotoGP aconteceu no passado, quando defendeu a Marc VDS na Espanha e a Honda na etapa de Austrália, onde foi chamado para substituir o lesionado Dani Pedrosa.
 
Atualmente, Hayden corre pela equipe de fábrica da Honda no Mundial de Superbike. No último fim de semana, o piloto disputou a rodada de Ímola. Nicky não terminou a primeira corrida, mas completou a segunda em 12º.
 
MENINO THOMAS MOSTRA LADO HUMANO DA F1 E AQUECE ATÉ CORAÇÃO DO ‘HOMEM DE GELO’ RÄIKKÖNEN


Últimas Notícias
segunda-feira, 25 de setembro de 2017
F1
Seletiva BR
MotoGP
F1
MotoGP
F1
Nascar
MotoGP
Nascar
F1
Nascar
MotoGP
F1
MotoGP
F1
Galerias de Imagens
Facebook