World Series
19/10/2015 14:02

Com fim de suporte da Renault, World Series muda de nome e vira F3.5 V8 a partir da temporada 2016

A F-Renault 3.5, principal categoria da World Series, encerrou sua temporada 2015 no último domingo. Sem o suporte da fábrica francesa, agora a classe terá novamente o comando de Jaime Alguersuari pai, responsável pela empresa RPM. A partir de 2016, vai se chamar F3.5 V8, em alusão aos motores usados no certame
Warm Up
Redação GP, de Sumaré
A World Series mudará de nome para a temporada 2016. Com o fim do suporte técnico e desportivo da Renault Sport ao fim do campeonato que se encerrou no último domingo (18), a categoria de acesso à F1 agora tem o comando da empresa responsável por sua promoção, a RPM Racing, chefiada pelo empresário Jaime Alguersuari, pai do ex-piloto da F1 e da F-E. A organização do certame optou por rebatizar a categoria como F3.5 V8, em alusão aos motores que empurram os carros do grid e já divulgou o calendário para 2016.
 
Em relação ao calendário, serão nove rodadas duplas, a começar em 16 de abril com a etapa de Motorland, em Aragão, na Espanha. Depois, a categoria corre em Hungaroring, Spa-Francorchamps, Paul Ricard, Silverstone, Red Bull Ring, Monza, Barcelona e Jerez, fechando o campeonato em 6 de novembro. 
World Series muda de nome com saída da Renault, mas garante sobrevida para 2016 (Foto: Divulgação/World Series)
Em boa parte do calendário, a F3.5 V8 fará parte do cronograma do GT Open, mas em Hungaroring, por exemplo, vai integrar o programa do WTCC, o Mundial de Carros de Turismo.
 
“Nós temos trabalhado em um calendário que possibilite aos nossos pilotos encontrar o melhor caminho e proporcionar a eles as melhores ferramentas para prepara-los como futuros pilotos profissionais”, declarou Alguersuari. “Nossa prioridade era estar em circuitos que recebem GPs”, acrescentou o empresário espanhol.

A World Series, quando passou a contar com o suporte da Renault, teve em seu grid pilotos que brilham ou já brilharam na F1. Caso, por exemplo, de Sebastian Vettel, Daniel Ricciardo, Robert Kubica, Jules Bianchi, Jean-Éric Vergne e Pastor Maldonado.
 
No grid para 2016, duas novidades significativas em termos de equipe. A Spirit of Race, chefiada por Amato Ferrari, dono da AF Corse, time tradicionalíssimo nas corridas de Endurance no GT, assumiu o controle da não menos tradicional Draco Racing e estará no grid do ano que vem. 
 
Em contrapartida, a Dams, time francês dono de ligações estreitas com a Renault, vai deixar a categoria para se dedicar à GP3, além da GP2, onde já opera. A equipe foi campeã em 2013 e 2014 com Kevin Magnussen e Carlos Sainz Jr., respectivamente.
 
A última temporada da World Series, da forma como ela era estruturada, teve os brasileiros Pietro Fantin e Bruno Bonifacio defendendo a Draco. Depois de selada a venda do time para Amato Ferrari, a equipe passou a contar com André Negrão para as duas últimas etapas do campeonato.
Últimas Notícias
sábado, 25 de março de 2017
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
F1
sexta-feira, 24 de março de 2017
F1
F1
Galerias de Imagens
Facebook