World Series
19/10/2015 14:02

Com fim de suporte da Renault, World Series muda de nome e vira F3.5 V8 a partir da temporada 2016

A F-Renault 3.5, principal categoria da World Series, encerrou sua temporada 2015 no último domingo. Sem o suporte da fábrica francesa, agora a classe terá novamente o comando de Jaime Alguersuari pai, responsável pela empresa RPM. A partir de 2016, vai se chamar F3.5 V8, em alusão aos motores usados no certame
Warm Up
Redação GP, de Sumaré
A World Series mudará de nome para a temporada 2016. Com o fim do suporte técnico e desportivo da Renault Sport ao fim do campeonato que se encerrou no último domingo (18), a categoria de acesso à F1 agora tem o comando da empresa responsável por sua promoção, a RPM Racing, chefiada pelo empresário Jaime Alguersuari, pai do ex-piloto da F1 e da F-E. A organização do certame optou por rebatizar a categoria como F3.5 V8, em alusão aos motores que empurram os carros do grid e já divulgou o calendário para 2016.
 
Em relação ao calendário, serão nove rodadas duplas, a começar em 16 de abril com a etapa de Motorland, em Aragão, na Espanha. Depois, a categoria corre em Hungaroring, Spa-Francorchamps, Paul Ricard, Silverstone, Red Bull Ring, Monza, Barcelona e Jerez, fechando o campeonato em 6 de novembro. 
World Series muda de nome com saída da Renault, mas garante sobrevida para 2016 (Foto: Divulgação/World Series)
Em boa parte do calendário, a F3.5 V8 fará parte do cronograma do GT Open, mas em Hungaroring, por exemplo, vai integrar o programa do WTCC, o Mundial de Carros de Turismo.
 
“Nós temos trabalhado em um calendário que possibilite aos nossos pilotos encontrar o melhor caminho e proporcionar a eles as melhores ferramentas para prepara-los como futuros pilotos profissionais”, declarou Alguersuari. “Nossa prioridade era estar em circuitos que recebem GPs”, acrescentou o empresário espanhol.

A World Series, quando passou a contar com o suporte da Renault, teve em seu grid pilotos que brilham ou já brilharam na F1. Caso, por exemplo, de Sebastian Vettel, Daniel Ricciardo, Robert Kubica, Jules Bianchi, Jean-Éric Vergne e Pastor Maldonado.
 
No grid para 2016, duas novidades significativas em termos de equipe. A Spirit of Race, chefiada por Amato Ferrari, dono da AF Corse, time tradicionalíssimo nas corridas de Endurance no GT, assumiu o controle da não menos tradicional Draco Racing e estará no grid do ano que vem. 
 
Em contrapartida, a Dams, time francês dono de ligações estreitas com a Renault, vai deixar a categoria para se dedicar à GP3, além da GP2, onde já opera. A equipe foi campeã em 2013 e 2014 com Kevin Magnussen e Carlos Sainz Jr., respectivamente.
 
A última temporada da World Series, da forma como ela era estruturada, teve os brasileiros Pietro Fantin e Bruno Bonifacio defendendo a Draco. Depois de selada a venda do time para Amato Ferrari, a equipe passou a contar com André Negrão para as duas últimas etapas do campeonato.

Últimas Notícias
quinta-feira, 17 de agosto de 2017
F1
Nascar
MotoGP
Copa Grande Prêmio
F1
F1
Stock Car
F1
F1
F1
F1
F-E
F1
quarta-feira, 16 de agosto de 2017
F1
MotoGP
Galerias de Imagens
Facebook