World Series
25/07/2015 11:06

Renault anuncia retirada de apoio à World Series ao fim da temporada e põe futuro da categoria em xeque

A Renault Sport informou às equipes da World Series que vai encerrar seu apoio à categoria no fim desta temporada. O futuro do certame entra em xeque, mas há a possibilidade de Jaime Alguersuari — pai do ex-piloto da F1 — reassumir o controle do campeonato
Warm Up
Redação GP, de Sumaré
Categoria que rivalizou nos últimos anos com a GP2 sobre revelação dos seus pilotos para a F1, a World Series tem seu futuro ameaçado. Isso porque a Renault, que apoia a classe há 11 anos, decidiu retirar sua participação do campeonato ao fim desta temporada. As equipes que formam o grid do certame já foram avisadas da decisão da montadora. A informação foi publicada pela revista britânica ‘Autosport’.

De acordo com a publicação, uma reunião a respeito do futuro da World Series será realizada na Espanha na próxima quinta-feira (30). Dela, participarão as equipes que formam a categoria, a Renault Sport e também a empresa RPM Racing, liderada por Jaime Alguersuari, pai do jovem ex-piloto de F1 e jornalista.

Jaime já foi responsável pela promoção da World Series entre 1998 e 2006, quando a classe tinha o apoio da Nissan, antes da entrada da Renault. Alguersuari, aliás, é considerado o grande favorito para reassumir o controle do campeonato a partir de 2016.
O futuro da World Series pode estar ameaçado com a saída da Renault no fim da temporada (Foto: Paolo Pellegrini)
A decisão da Renault de deixar de oferecer suporte à F-Renault 3.5, principal categoria da World Series, se deve à chegada da nova F2, promovida pela FIA (Federação Internacional de Automobilismo), além de razões comerciais e de marketing.

Contudo, o novo formato da competição deverá englobar com a F-Renault Europeia, assegurando a permanência da montadora de Viry Châtillon no desenvolvimento de jovens pilotos nas categorias de base, e no Troféu RS.01, classe de turismo.

De forma a compensar a saída da Renault, uma proposta das equipes da World Series à RPM e à Renault será colocada em pauta na reunião na próxima semana, compreendendo uma maior premiação em dinheiro aos pilotos em 2016, além de um aumento no limite de giros do motor para aumentar o desempenho.

Um chefe de equipe da World Series, em condição de anonimato, disse que os times devem permanecer na categoria no ano que vem.

“Todas as equipes estão dizendo que vão continuar. Nossas propostas incluem a concessão de um prêmio em dinheiro de € 600 mil para o campeão, seja para gastar ao fazer a ponte para um orçamento para a F2 ou então gastar em categorias turismo. E, ao mesmo tempo, oferecer um prêmio de € 200 mil ao melhor estreante, para mantê-lo na categoria”, declarou.

Atualmente, a categoria conta com dois pilotos brasileiros no grid: o paranaense Pietro Fantin e o paulista Bruno Bonifacio, que faz sua estreia na World Series em 2015.
Últimas Notícias
sexta-feira, 20 de janeiro de 2017
MotoGP
F1
MotoGP
MotoGP
Rali
quinta-feira, 19 de janeiro de 2017
Rali
Rali
F-E
Outras
MotoGP
MotoGP
F1
Indy
MotoGP
MotoGP
Galerias de Imagens
Facebook